quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Violência em Relacionamentos Lésbicos

Essa é para aquelas que acham que violência é só homem que faz com mulher, que violência é só agressão física. Engano seu. Esse belo texto eu adaptei do excelente texto com créditos de Ana da Mata do site muitofranca, que originalmente foi escrito para relacionamento hétero. Apenas adaptei, pra você leitora ver que se encaixa perfeitamente nos relacionamentos homoafetivos:




Ela não te bate, mas exige que seja de tudo da maneira dela, porque ela banca a casa e te leva a crer que você não pode pagar o aluguel ou viver sozinha.

Ela controla suas idas e vindas, mas tranquilo, ela te persuade dando um cartão de crédito ou dinheiro para você poder comprar suas roupas. A dependência financeira, é só uma brecha para o início da dependência amorosa-emocional-psicológica.

Ela não te bate, mas te impõe limites porque você não pode usar batom vermelho, roupas curtas e tampouco sair com as amigas.

Ela não aceita ouvir a sua opinião, nunca, sobre nada. Só existe a verdade dela e, mesmo com muita paciência, você ainda tenta conversar, porém o que te resta são berros ensurdecedores, seguidos de pedidos de desculpas com doces beijos.

Ela não te bate, mas te convence que você precisa lavar a louça todos os dias, manter a casa impecavelmente limpa, transar todos os dias, porque se você não fazer, tem que faça.

Ela é incapaz de dizer um elogio, qualquer que seja. Só se louca e inútil viraram adjetivos e eu não estou sabendo. Além disso, ela te faz inimiga do espelho, repetindo o quão gorda você está.

Ela não te bate, mas vira e mexe, te faz chantagens emocionais, dizendo que irá terminar e que sem ela, você não é nada.

Ela chora miséria para não sair com você, quando você quer, mas quando as amigas convidam, ela esbanja pagando a conta.

Ela fica dias sem olhar na sua cara, porque te viu conversando com uma amiga na rua. E só volta a falar com você, depois que você mendigou a atenção dela.

Ela não te bate, mas rompe suas amizades mais leais, porque elas são putas e você não pode se misturar com esse tipo de gente.

Ela não te deixa ir à academia, porque você é o amor da vida dela e, você é tão linda, mas tão linda, que não pode ser vista por outras mulheres. Só ela.

Ela não te bate, mas invade seu espaço e te priva de fazer coisas que te fazem feliz. Ela te constrange, diariamente, porque ela pode. Ela é a sua mulher. E Ai de você se ousar questionar.

Você já não sabe mais o que é sorrir pelo prazer de sorrir. Você nem lembra quando sentiu um orgasmo. A loucura começa quando você inventa mil justificativas pra atos dignos de pena.

A tristeza começa quando você deixa de ser feliz, por acreditar que só será feliz com a única mulher da Terra, porque você acredita de fato, que ela é a única.

“Ah, mas eu sou ciumenta também. Não sei como ela me aguenta”, moça, pára. Ela não te aguenta, ela te domina.

E por quê? Você precisa sair dessa caixinha! Seu relacionamento é abusivo. No entanto, é difícil assumir a si mesmo, que a mulher da sua vida, aquela lá que você apostou todas as suas fichas, fez planos, idealizou viagens e criou expectativas, não passa de uma controladora incapaz de controlar a própria vida. E por ser tão incapaz de tanta coisa e ter nas mangas a manipulação, ela consegue te manter ali, fiel.

Eu sei, não é fácil. A oscilação de humor dela, não condiz com as flores que ela te manda. Mas ela só manda quando te trata mal.

Moça, não será menos fácil, se você não se permitir ser feliz, de verdade. Quem gosta de você, gosta com todas as suas falhas, medos e defeitos. Mas ela vai mudar, né? Foi só um contratempo, ela estava de cabeça quente. Não vai se repetir.

Vai sim. Repete. Uma. Duas. Três. De novo. Mais uma vez. Constantes hábitos que te fazem sentir um pássaro numa gaiola.

A vida passa muito rápido pra se perder tempo com quem nos trava o riso. E se você tiver que implorar, mendigar por um amor, que seja o próprio.

Porque é ele que te mantém de cabeça erguida e te convence de que você não merece qualquer uma.

Perca o medo, crie coragem. Qualquer caminho que seguir sem ela, te levará a algum lugar melhor. Perca-se.

Reflitam amigas, como está você nesse relacionamento?

Artigos Relacionados

2 comentários:

Ana da Mata disse...

Só faltou creditar o texto! Obrigada por compartilharem!!

11 de abril de 2017 10:50
Drica Colorida disse...

Olá Ana, logo no início está assim: "Esse belo texto eu adaptei do excelente texto com créditos de Ana da Mata do site muitofranca" ou seja foi creditado com devida honra! Eu que agradeço!

10 de junho de 2017 19:10

Postar um comentário