segunda-feira, 21 de junho de 2010

Poesia - Inquietude da Alma

Inquietude da Alma

Por: Adriana Antunes

Inquietude da alma,
foram tantas as vezes
que te falei
que te amava,
tu não acreditavas,
zombavas,
eu chorava,
sofria calada,
a teu lado
implorava
que não me deixasse,
você não ouviu
me disse adeus.
partiu sem palavras,
eu não aceitava
que você já não mais me amava.
Sofri,
morri,
a alegria perdi,
parei de sorrir.
o tempo passou,
então me refiz
renasci.
o tempo curou,
colou meus pedaços.

Amadureci,
aprendi,
ressurgi,
agora em voltar você fala,
promete ficar,
acha que um beijo só
basta,
apaga.
triste engano,
o tempo não volta,
transforma
Acaba.


Artigos Relacionados

0 comentários:

Postar um comentário