quarta-feira, 5 de maio de 2010

Contos - E Foi Assim!

Por: Drica Colorida

Era mais uma tarde ensolarada, e eu ali, na beira do rio, jogando pedrinhas na água, pensando na vida, sem ter o que fazer. Pensava comigo mesma: "Que monotomia!". Estavam assim os meus dias, de manhã ajudando minha tia nos afazeres da casa, cuidando dos bichos da fazenda, e a tardinha ali, olhando o rio. Perdi meus pais, com 17 anos, e tive que morar com minha tia, no interior. Eu morava na cidade grande, já tinha concluido o segundo grau. Mas por não ter mais ninguém, era a única opção morar ali. Já estava com 19 anos, e os dias sempre os mesmos, quando saia, era pra fazer compras, na cidadezinha mais próxima. Às vezes íamos na caminhonete, modelo rural, muito antiga, às vezes íamos de carroça. Como era diferente! Eu acostumada ao agito da cidade, escola, amigos, festas, e de repente assim!
Tia Lúcia era um amor de pessoa, me tratava bem, do jeito dela, mas não era de muita conversa, vivia pro trabalho doméstico, tio Romeu, era um homem rude, de poucas palavras. Meus primos, João e Maurício,  quando não tavam na roça, tavam atrás das gurias das fazendas vizinhas. 
Às vezes eu conversava com Lourdes, ela morava num sítio perto, quando ela ia buscar queijos, ficava um pouco batendo papo comigo. Lourdes tinha 22 anos, e estava noiva de um rapaz, que só vinha vê-la de 15 em 15 dias.
Certa tarde, sai da beira do rio, e fui pra casa. Chegando lá, meu tio tava tão triste, uma vaca havia quebrado a pata, e estava sofrendo muito, ele não queria sacrificá-la, amava muito aquela vaca. Ai dei uma idéia: "Tio chama um veterinário", ele respondeu "como Júlia? aqui perto tudo é tão dificil". Foi ai que lembrei, que Loudes havia dito, que uma prima dela tava passando uns dias no sítio, e era veterinária! Rapidamente, pedimos Maurício pra ir lá no sítio!... 

Continua....................


Artigos Relacionados

1 comentários:

fabiana disse...

Nossa, eu gostei.
Esse conto promete.
:)

5 de maio de 2010 23:22

Postar um comentário