sexta-feira, 28 de maio de 2010

As DSTs e o Sexo Seguro

O Sexo seguro também é um papo de mulher, precisamos estar cientes que a prevenção de DST / Aids é de suma importância em nossas vidas. Veja esse artigo:

"As DST mais freqüentemente transmitidas nas relações entre mulheres são:

1) a candidíase (monília), a tricomoníase e a vaginite causada pela bactéria Gardnerella vaginalis via contato genital-genital (chanacomchana) e digital-genital (dedo-vagina);

2) o herpes genital e a hepatite A, B e C* através de contato oral-genital (chupada), oral-anal e genital-genital (chanacomchana);

* O risco de transmissão do vírus da hepatite C pela via sexual permanece controverso, tendo em vista que, embora seja incomum, há casos de transmissão registrados. O consenso é de que a via principal de transmissão do vírus da hepatite C se dá através de sangue contaminado, o que pode ocorrer pela troca de agulhas entre usuários de drogas ou pela aplicação de piercings e tatuagens sem os devidos cuidados de esterilização dos equipamentos
utilizados.

3) as causadas pelo papiloma vírus humano, como as verrugas genitais e as lesões no cérvix associadas ao câncer cervical, por meio do contato vulva-vulva, dedo-vagina.
Vale a pena lembrar que muitas dessas DST são transmitidas também via assento de banheiro, toalhas úmidas, lençóis e roupas íntimas. É bom saber ainda que vaginites, causadas, por exemplo, por cândida e gardnerella vaginalis, são frutos de desequilíbrios de nossos próprios organismos. A cândida é um fungo e a gardnerella uma bactéria que vivem normalmente na flora vaginal e no reto, contribuindo inclusive para manter a acidez natural da vagina.

Por razões que vão de estresse a desequilíbrios hormonais e depressão até a consumo exagerado de açúcar e álcool, passando pela menstruação, o pH da vagina fica mais alcalino dando chance à cândida e à gardnerella, entre outros microrganismos, de se proliferarem. Não vá, portanto, pedir o divórcio à companheira se ela tiver alguns desses probleminhas e repassá-los para você. Basta tratar."

Existem meios de evitar tais problemas, como o uso de camisinhas femininas ou masculinas e luvas, para penetrações, barreira de borracha entre a boca e a vulva no sexo oral, higiene permanente. E não esquecer de estar em dia com as consultas ginecológicas.

CUIDE-SE, PREVINA-SE, 
MULHER COLORIDA É MULHER COM SAÚDE!


Fonte do artigo: Um Outro Olhar

Artigos Relacionados

0 comentários:

Postar um comentário