quarta-feira, 24 de março de 2010

Contos - O QUE HÁ, MEU CORAÇÃO?

Vamos iniciar a sessão de contos. (São histórias fictícias, qualquer semelhança é mera conscidência). Não esqueçam de comentar e sugerir!!

O que há, meu coração?
POR: Drica Colorida






Era uma tarde, ensolarada, eu estava em casa. Fui até a sacada do meu quarto, olhar um pouco a rua. Quando deparei-me com uma imagem linda, uma moça com cabelos longos, ruivos, passeando com poodle pela calçada. Parei um instante, e me peguei admirando-a.

Balancei a cabeça e me perguntei: “Marta, o que ta acontecendo com você?.” Jamais tinha admirado assim uma mulher. Logo um grito me tirou daquele transe:

- Marta, desce aqui! Preciso de você!

Era mamãe, queria que eu fosse ao mercado. Ela queria fazer um jantar especial, disse que havia convidado os novos vizinhos pra jantar em nossa casa.

- Ta mãe, me dá a lista, que saco heim! Podia ter marcado outro dia, só porque hoje não tenho aula na facul né mãe!

- Vai logo menina, o que custa? Vai cair sua mão? Só to sendo gentil com os vizinhos, vieram de muito longe.

Lá fui eu, meia indignada, abri o portão, olhei para um lado, para o outro, e a rua já estava completamente vazia.

Comprei tudo que mamãe pediu e voltei para casa. Cheguei deixei as bolsas e fui direto pro meu quarto. Tomei um banho, e aquela imagem não saia da minha cabeça. Eu não entendia o que tava acontecendo comigo. A hora passou, eu adormeci um pouco. Acordei, liguei o pc, quando ouvi uma movimentação lá em baixo, lembrei: “Ih, deve ser as visitas”. Já fui logo me aprontando, antes que mamãe reclamasse, eu não tava a fim de história aquele dia. Desci a escada, minha visão me levou direto ao sofá da sala, aqueles cabelos, de costas para mim... Era ela, a moça que vi mais cedo. Estava linda, fui chegando mais perto, eu estava nervosa, minhas mãos começaram a suar... quando mamãe disse:

- Patrícia, essa é minha filha Marta. Ela faz administração.

Ela se virou em minha direção, se levantou. Que visão eu tive naquele momento, ela estava mais linda ainda, com um vestido preto de alças, um decote suave. Eu trêmula, gaguejando, quase não saiu a palavra oi. Ela docemente me cumprimentou:

- Oi Martinha!

Já me chamando de Martinha, como se fosse-mos íntimas.


Continua......


Artigos Relacionados

2 comentários:

lotus disse...

Gostei, só vou imaginar que a Patrícia é morena. Não sou chegada em ruivas.
Beijos!!
Boa noite para todas!!

24 de março de 2010 20:24
lucimara disse...

dri meu anjo, sou sua fã, amei o conto e to amando o blog... vc escreve muito bem... tem talento e é minha amiga rsrsrs ;)

24 de março de 2010 20:26

Postar um comentário