Contos - O QUE HÁ, MEU CORAÇÃO? 6

Eu e a mãe dela levantamos correndo, quase derrubando as coisas, para acudi-la. Ela logo despertou, colocamos ela sentada, demos água. A mãe dela, queria levá-la ao hospital, ela não queria ir, eu a convenci de ir. Fomos. Chegando lá o médico aferiu a pressão, estava baixa. Ele pediu exames. Voltamos e ela passou o dia de repouso, e eu não sai de perto dela, imagina, cheia de dengo por todos os lados.
Fui em casa pegar uma roupa, expliquei minha mãe o ocorrido, e disse que ficaria lá. Minha mãe deu maior força pra mim fazer companhia pra ela.
De volta a casa de Paty, ela estava dormindo. A mãe dela me chamou pra sentar-mos na sala,  conversar-mos um pouco. Ela me contou, que Paty, vira e volta estava se sentindo mal, fraca, que seria bom mesmo ela fazer a bateria de exames que o médico pediu. Ainda não havia feito, porque era muito teimosa. E me pediu para aconselhar a "minha amiga".
Após a conversa eu subi, fui ver como ela estava. Sentei-me a beira da cama, ela dormia, alisei seu rosto, ela despertou e me disse: "amor que bom vc estar aqui comigo, me abraça". Nos abraçamos, ela parecia tão frágil aquele instante. Eu disse assim: "vou fazer pipoca, tem sal, a pressão melhora" ela amou a idéia. Desci fiz pipoca, e vimos um filme, "uma linda mulher" rs ela já tinha perdido as contas de tantas vezes que tinha assistido!!!
Rimos bastante, namoramos bastante. Ela pos a cabeça no meu colo e adormeceu.
No dia seguinte, ela foi ao médico, fazer os exames. Eu não pude ir, tinha trabalho da facul pra fazer. combinamos de nos ver a tarde, antes do horário da facul. A hora foi passando. No horário marcado, eu liguei pra ela, tava preocupada. Ela me disse que não estava bem, pra mim passar na casa dela. Eu fui. Só deu tempo de um beijinho porque eu já tava atrasada, ela disse que também precisava descansar.
Fui pra facul, mas meu pensamento distante, só pensava nela. No intervalo liguei de novo, tava desligado.
Na volta fui direto pra casa. Chegando em casa pra completar, meus pais discutindo com meu irmão, nem parei, subi direto e fui dormir, aliás, dormir foi uma coisa que quase não fiz, rolava de um lado pro outro, ela não saia da minha cabeça.

Continua...........................


Continue...

Contos - O QUE HÁ, MEU CORAÇÃO? 5

Ela já me esperava, estava linda como sempre!!! pegamos um táxi e fomos ao pão-de-açúcar. Chegando lá, eu peerguntei se ela tinha medo de alturas, rs pra que, ela disse que o nome dela era adrenalina pura!! Subimos, pegamos o bonde, tiramos muitas fotos, e ainda levamos cantadas dos gringos, rsrs.
Descemos, almoçamos, pegamos um táxi, no caminho ela veio suussurando em meu ouvido, o quanto que ela me queria, me chamou pra dormir na casa dela. O motorista já tava cismado , olhando pelo retrovisor, enfim chegamos em casa. A mãe dela, ainda a chamou pra ir no salão de beleza para acompanhá-la, eu fui pra casa.
Minha mãe perguntou sobre o passeio, eu disse como tinha sido. A noite fui pra casa dela. A mãe dela estava vendo tv, sentamos na sala, e passou uma reportagem sobre homossexualismo, pra que, a mãe dela começou falar barbaridades, disse que aquilo era pouca vergonha, o fim do mundo, que era inaceitável. Eu gelei, fiquei completamente, sem palavras. Mas eu sabia que tudo aquilo que eu sentia, não era pouca vergonha. Era real. Ela vendo que eu tava sem jeito, me chamou pra subir, e fomos.
No quarto ela ligou numa música romantica, colocou baixinho, me chamou pra dançar. Me abraçou, seu rosto ficou bem junto do meu e ela falava baixinho em meu ouvido, "te quero". nos beijamos, mas uma vez estava eu envolvida, naquele jogo de sedução! e era bom. Passamos a noite, em meio ao amor e aos carinhos, dormimos juntinhas. Acordei, ela não tava do meu lado, estava no colchonete esticado no chão, fui até ela, acordei com beiijos e carinhos, ela disse que tava amanhecendo, e não podia, deixar que a mãe dela desconfiasse, eu já tinha visto como era a fera rs.
Descemos, fomos pro café, na mesa ela se levantou pra pegar uma fruta, quando derrepente, se sentiu mal e desmaiou....

Continua................


Continue...

Contos - O QUE HÁ, MEU CORAÇÃO? 4

Paramos de nos beijar, ela com a voz doce, me disse: "Desde que te vi, senti algo diferente, gostei de você", eu respondi que também sentia isso, que estava com medo. Ela me disse pra não ter medo, nos beijamos novamente, ela me chamou pro banho, eu não podia conter meu desejo aquele momento. Fomos pro banho, seu toque, sua maciez, aquilo era tão diferente, tão intenso, eu estava mergulhada na paixão que sentia. Fizemos amor, ela foi tão carinhosa, eu me senti nas nuvens, adormecemos, eu nos braços dela, como se protegida estivesse. Até que um barulho, nos acordou, que susto, minha mãe chegando, levantamos correndo, vestimos a roupa, disfarçamos no computador, e rimos bastante. Mamãe subiu, perguntou:
- Oi meninas, como foi a praia?
Respondemos que estava muito legal, que nos divertimos bastante. Ela saiu. Nos olhamos. Ela disse que precisava ir embora. Levei ela até o portão, ela me beijou, no canto da boca e disse "tchau amor". Entrei, parecia que pisava em nuvens. Logo anoiteceu, eu tava cansada, jantei e fui dormir.
Pela manhã, despertei com o som do celular tocando, era ela!! "oi amor, dormiu bem?" Eu disse que sim, perguntei se ela estava bem. Ela disse " vamos onde hoje amor? quero ir no pão de açucar" Eu respondi que ela já era meu docinho, ai que lindinho, ela perguntou: "quer namorar comigo?" eu perguntei pra ela," mas como a gente faz?" eu tava confusa! Ela disse "eu te ensino, não tenha medo, vamos viver o que sentimos!
Nos despedimos, eu pulei da cama, tomei banho, fui tomar café rapidinho, minha mãe não entendeu nada, eu disse: " mãe to saindo com Paty, beijo"...

Continua...................


Continue...

Contos - O QUE HÁ, MEU CORAÇÃO? 3

Tava tão distraida na fila do caixa na padaria, deixei uma moeda cair no chão, me abaixei pra pegar. Quando levantei, lá vinha  ela em minha direção, meu coração disparou. Ela veio dizendo:
- Bom dia Martinha! onde vamos hoje? sabadão com esse sol, que trem bão!!
Eu ri, e disse que poderiámos sim ir a praia, a final era bem perto... Marcamos.
- Daqui uma hora te espero no seu portão Martinha!
- Tá legal Paty !
Em uma hora estávamos prontas! minha mãe e meu iriam visitar minha tia, meu irmão se mandou pra casa da namorada.
O interfone tocou, desci correndo, ela estava linda, com biquini e um shortinho, óculos escuros e um lindo chapéu. Eu tava de biquini e canga. Fomos andando, dava pra ir a pé, três quadras só.
Chegando ela, dislumbrada, disse:
- Martinha eu amo praia, umas quatro férias passei em lugares com praia, agora morando assim tão perto... vou me esbaldar.
Arrumamos um lugar, não tava muito cheia aquele dia, ela foi correndo se banhar, eu fiquei esperando, pensando naquilo tudo... Ela voltando, que visão linda, saindo do mar, aquele corpo lindo e molhado. Não podia mais negar, eu a desejava. Ela se aproximando se sentou ao meu lado, ficou em silêncio um instante, quando nossos olhares se cruzaram. Em seguida veio chegando três amigos Marcos, Alessandra e Pietro.
Apresentei Paty ao pessoal, eles chamaram a gente pra jogar volei, beleza nos divertimos a manhã inteira.
Por volta de uma da tarde decidimos ir embora, fomos pra minha casa. Já estava vazia, todo tinham saido, fomos pra cozinha ver se tinha almoço, eu disse vou tomar uma banho, se quiser pode tomar banho e almoçar comigo, ela disse "claro, acha que ia recusar?" sorrimos. Subimos, fomos ao meu quarto, enquanto eu escolhia uma roupa, ela olhava meus cds. Eu perguntei "quer uma roupa emprestada, mas tarde me devolve" ela respondeu que sim. Eu mexendo nas roupas, me distrai, pensei que ela tava vendo os cds, quando me virei, ela estava atrás de mim, paramos, nos olhamos, ela foi se aproximando, quando dei por mim, estávamos nos beijando, e que beijo, mágico, uma sensação incrível, eu não conseguia rejeitar, ela me dominava, me abraçava, me tocava com um jeito, que ninguém havia tocado, que loucura!! A mciez da pele dela encostando na minha. Minha vontade era me entregar a ela naquele instante.....


Continua.......




Continue...

Contos - O QUE HÁ, MEU CORAÇÃO? 2

Pedi licença, e sai correndo as escadas. Ninguém entendeu nada. Entrei no meu quarto, tranquei a porta. Eu tava desesperada. Não sabia o que fazer. Fui pro banheiro, lavei meu rosto, olhei-me no espelho: "Marta o que é isso?" me perguntei.
Eu tinha 20 anos de idade, já havia namorado 3 rapazes. Me lembro que meus namoros não foram lá essas coisas. Tinha feito sexo com um, mas ele não foi carinhoso. E eu não gostei da experiência que tive. Mas daí a me interessar por mulher? Aff, era demais pra minha cabeça!
Voltei pra sala, minha mãe perguntou:
- Que foi filha? tá se sentindo mal?
Eu disse:
- Não mãe tá tudo bem.
Ela veio até mim, e começou a perguntar da faculdade, disse que faria o próximo vestibular. Meu pai e o pai dela conversavam lá fora, meu irmão ainda não tinha chegado do trabalho. E a mãe dela foi na cozinha ajudar mamãe. Ficamos sozinhas. Ela me disse que tinha 23 anos. Vieram do interior de Minas Gerais, porque o pai dela iria trabalhar na empresa do irmão dele.
Ela me perguntou:
- Você namora?
Eu ainda nervosa respondi:
- Não, não, terminei tem 3 meses. e você?
Ela me disse que não namorava há seis meses. Que a última namorada dela, viajou para os Estados Unidos ilegalmente. Eu gelei e disse:
- Como assim? namorada?
Ela na maior naturalidade, disse "sim namorada, mas não conta pra ninguém". 
Fiquei sem palavras, ela percebeu, e me pediu desculpas, perguntou se eu tinha preconceito. Eu trêmula disse que não, que tava tudo bem.
Minha mãe logo chamou:
- Meninas tá na hora, vamos jantar!
Todos na mesa, eu pensando que aquilo tudo era sonho, pesadelo, sei lá. Ela me olhava, com olhar firme, direto, e eu sem graça. Jantamos, eu fiquei calada na mesa, eles conversando, contando histórias... 
Acabamos, ela me puxou pela mão, queria que eu fosse até o jardim. Chegando lá ela disse:
- Sabe o que tem de bom no interior? Podemos ver o luar e as estrelas com mais brilho!
Eu mudando de assunto perguntei, que curso ela pretendia fazer, ela disse que queria fazer direito. Eu achei legal a escolha dela, conversamos sobre a cidade, eu dizendo o que tinha de bom pra ela conhecer no rio de janeiro. Ela disse "tá feito você será minha guia turística." sorrimos, quando os pais dela a chamaram pra embora, todos se despediram, e meu irmão chegando. Veio logo ao meu ouvido: "maninha, que gata!" eu tive que rir.
No dia seguinte, acordei cedo, fiz questão de ir na padaria, quando abri o portão... 

Continua............


Continue...

Contos - O QUE HÁ, MEU CORAÇÃO?

Vamos iniciar a sessão de contos. (São histórias fictícias, qualquer semelhança é mera conscidência). Não esqueçam de comentar e sugerir!!

O que há, meu coração?
POR: Drica Colorida






Era uma tarde, ensolarada, eu estava em casa. Fui até a sacada do meu quarto, olhar um pouco a rua. Quando deparei-me com uma imagem linda, uma moça com cabelos longos, ruivos, passeando com poodle pela calçada. Parei um instante, e me peguei admirando-a.

Balancei a cabeça e me perguntei: “Marta, o que ta acontecendo com você?.” Jamais tinha admirado assim uma mulher. Logo um grito me tirou daquele transe:

- Marta, desce aqui! Preciso de você!

Era mamãe, queria que eu fosse ao mercado. Ela queria fazer um jantar especial, disse que havia convidado os novos vizinhos pra jantar em nossa casa.

- Ta mãe, me dá a lista, que saco heim! Podia ter marcado outro dia, só porque hoje não tenho aula na facul né mãe!

- Vai logo menina, o que custa? Vai cair sua mão? Só to sendo gentil com os vizinhos, vieram de muito longe.

Lá fui eu, meia indignada, abri o portão, olhei para um lado, para o outro, e a rua já estava completamente vazia.

Comprei tudo que mamãe pediu e voltei para casa. Cheguei deixei as bolsas e fui direto pro meu quarto. Tomei um banho, e aquela imagem não saia da minha cabeça. Eu não entendia o que tava acontecendo comigo. A hora passou, eu adormeci um pouco. Acordei, liguei o pc, quando ouvi uma movimentação lá em baixo, lembrei: “Ih, deve ser as visitas”. Já fui logo me aprontando, antes que mamãe reclamasse, eu não tava a fim de história aquele dia. Desci a escada, minha visão me levou direto ao sofá da sala, aqueles cabelos, de costas para mim... Era ela, a moça que vi mais cedo. Estava linda, fui chegando mais perto, eu estava nervosa, minhas mãos começaram a suar... quando mamãe disse:

- Patrícia, essa é minha filha Marta. Ela faz administração.

Ela se virou em minha direção, se levantou. Que visão eu tive naquele momento, ela estava mais linda ainda, com um vestido preto de alças, um decote suave. Eu trêmula, gaguejando, quase não saiu a palavra oi. Ela docemente me cumprimentou:

- Oi Martinha!

Já me chamando de Martinha, como se fosse-mos íntimas.


Continua......


Continue...

Sejam Bem-Vindas!!!



Olá amigas, esse é o post inaugural desse site, quero aqui dizer que todas podem se sentir à vontade, DESABAFEM, CONTEM SUAS HISTÓRIAS DE VIDA, DIGAM O QUE SENTEM, SE QUISEREM QUE SEUS DESABAFOS SEJAM ANÔNIMOS ESCREVAM NO FORMULÁRIO POR FAVOR, VOU PUBLICAR SEM SEU NOME, SE ASSIM PREFERIR.

Sabemos o quanto é difícil, muitas de nós, não tem ninguém pra conversar, nem todos podem compreender o que sentimos, por isso resolvi criar esse blog.

Aqui é espaço aberto, criado para debates, para conversarmos, sobre nossas experiências de vida, só não vou admitir nenhuma forma de preconceito e coisas pornográficas. Comentários do tipo serão apagados.

Declaro aberto o site Mulheres Coloridas, pq coloridas? no meu caso meu mundo era sem cor, agora se coloriu !!!






Continue...